Cinco dicas para você controlar o seu orçamento

Em tempos de juros e inadimplência em alta, nada é mais importante do que acompanhar de perto o seu orçamento doméstico, a fim de evitar ser surpreendido com uma dívida no final do mês. Veja as nossas dicas. 1. Monitore o seu dinheiro de perto e diariamente. Não adianta fazer um orçamento pessoal todo detalhado e não acompanhar quase que diariamente o andamento das suas finanças. Essa medida não vai  torná-lo um milionário, mas certamente evitará que você caia em dívidas. 2. Liste todas as suas dívidas. Faça um levantamento de todas as suas dívidas colocando os valores totais e os juros pagos. A prioridade deve ser sempre quitar as dívidas nas quais se pagam os maiores juros. 3. Espere antes de fazer uma compra supérflua. Você se apaixonou por uma bolsa? Ou por um tênis? Não compre por impulso. Espere até trinta dias. Se depois desse período a paixão ainda estiver firme e forte, então pode comprar. Desde que,

leia mais Cinco dicas para você controlar o seu orçamento

Quando um “não” não é tão ruim assim

A propaganda na televisão parece divulgar uma vantagem e tanto “crédito para negativados! Não fazemos consignado, confiamos em você”. As palavras soam como água no deserto para muitos que estão no sufoco financeiro e precisam de dinheiro com urgência. Você já se perguntou qual o custo dessa proposta? O custo são os juros elevados, maiores que os oferecidos pelos bancos tradicionais. O contador Murilo Machado explica o motivo: “o primeiro motivo está no próprio conceito de ‘negativado’, que é aquela pessoa com restrições financeiras no SPC, Serasa ou em outros órgãos de proteção ao crédito. Se a pessoa tem restrição, aumenta o risco de ela não pagar. Por isso, essas empresas aplicam juros elevadíssimos nesses empréstimos: para compensar o risco de inadimplência, que é alto nesses casos. Em outras palavras, é como se ela cobrasse de um os juros suficientes para cobrir o prejuízo de outros devedores e ainda ganhar mais”, conclui. Por esse motivo, se a pessoa procura o

leia mais Quando um “não” não é tão ruim assim

Dúvidas: veículos

Daqui a um ano pretendo comprar um carro, gostaria de saber algumas dicas sobre o valor da entrada e da prestação que não comprometam minha renda. Um carro possui um custo de manutenção de cerca de 3% de seu valor por mês entre seguros, manutenções, revisões, depreciação e custo de oportunidade, isso mesmo sem sair da garagem. Avalie o que isso representará em seu orçamento com base no valor do carro que deseja. O que recomendamos é que assuma uma parcela que não pese em seu orçamento e nossa sugestão é que comece desde já a fazer uma poupança exatamente no valor da parcela que acredita que pode pagar, dessa forma estará criando uma poupança para o valor da entrada que quanto maior for, menor será a prestação. Esse exercício também lhe proporcionará a certeza de se o valor da parcela está ou não pesando em seu orçamento. Quando for comprar o carro já terá o hábito de pagar determinado

leia mais Dúvidas: veículos